Skip to content

Publicado por Grupo SERES

O papel do RH na indústria 4.0


As máquinas não irão substituir o homem nem tão cedo, como frisam os especialistas em tecnologia. Esta é a principal informação para entender porque a área de Recursos Humanos tem uma função bastante importante na ideia de indústria 4.0. Mas também é um setor que tem muito a se adequar para ser cada vez mais estratégico, automatizado e assertivo. A revolução tecnológica já começou a transformar as organizações, mas é preciso otimizar bem o tempo e fazer uma gestão eficiente dos dados.

A ideia da também chamada de Quarta Revolução Industrial começou a ser mais difundida a partir de um projeto estratégico voltado para novas tecnologias e originado no governo alemão, sob o conceito de relacionar máquinas e sistemas para a criação de redes inteligentes de produção quase totalmente autônomas. No entanto, toda essa transformação digital ainda depende da parceria e da cognição humanas nas novas funções de trabalho. E o RH é o responsável por atrair a mão de obra ideal e capacitada para esses cargos.

Torna-se fundamental, então, um posicionamento cada vez mais eficiente, tecnológico e capacitador. Isso significa que o setor precisa, além de procurar e encontrar o funcionário, também investir na evolução desses colaboradores para que estejam sempre atualizados e qualificados para operar os novos sistemas e técnicas de produção. Neste cenário, o RH também precisa ter menos processos e burocracias. O objetivo é criar departamentos mais digitalizados e inovadores.

Em busca do profissional 4.0

O momento da contratação pode ser considerado um dos maiores desafios da indústria 4.0. O mercado agora exige profissionais altamente qualificados, abandonando engessadas linhas de produção para focar em soluções mais complexas e criativas.

O profissional ideal é o que aprende a trabalhar em conjunto com computadores e robôs colaborativos e aumentar a produtividade da empresa. Este funcionário não será responsável apenas por exercer uma parte específica do trabalho, mas estará integrado a todo o processo produtivo. Por isso, precisa estar em constante atualização.

O RH também deverá ter atenção às novas formas e propostas que serão desenvolvidas para reter o colaborador e não abrir espaço para o aumento do turnover (rotatividade de funcionários). A Indústria 4.0 tem um formato mais flexível e, assim, mais suscetível às mudanças. Para manter o quadro de funcionários, será importante buscar talentos que se adaptem a essas mutações.

Não há uma fórmula para se fazer uma contratação, mas o pacote “velocidade + assertividade” do processo – da busca à contratação do talento – é o caminho mais indicado. É preciso buscar treinamentos e tecnologias existentes para garantir contratações sem erros com a rapidez que o novo formato de indústria exige.

Para isso, inclusive, há softwares modernos e empresas especializadas capazes de auxiliar no cruzamento de informações do profissional com a empresa de forma segura.

Quando o RH acompanha a evolução necessária, este se torna uma das mais importantes peças da engrenagem da indústria 4.0. Afinal, sem os profissionais adequados, o progresso tende a ser mais lento.

 

Fonte:

Citisystems
Na Prática
Solides
Exame
Endeavor

Empresas do Grupo