Guia do Recrutamento e Seleção

Recrutamento e Seleção é um processo que faz parte do departamento de Recursos Humanos de uma empresa, responsável por atrair candidatos para ocupar vagas disponíveis na companhia. Além de avaliar as competências técnicas, comportamentais e socioemocionais de um colaborador em potencial.

Uma seleção e uma contratação mal estruturada podem trazer grandes prejuízos, não só no financeiro da empresa, mas também nas relações interpessoais dos profissionais. Porém, com boas práticas, o processo de seleção pode ser um grande aliado.

Pensando nisso, criamos esse guia definitivo sobre Recrutamento e Seleção, para que você domine as melhores técnicas no processo de R&S.

 

O que é Recrutamento e Seleção?

Embora Recrutamento e Seleção sejam termos que parecem sinônimos, eles são etapas diferentes de um processo de contratação. 

O recrutamento é o momento que a empresa atrai candidatos em potencial que se adequam às necessidades da vaga exigidas pela organização. O recrutamento tem como objetivo recrutar o maior número possível de candidatos para encontrar o talento mais qualificado para a vaga.

A seleção faz parte de um segundo momento do processo. É a forma de triagem do recrutamento, feita por meio de um processo seletivo que pode envolver diversas ferramentas como entrevistas, testes, dinâmicas, entre outras técnicas.

 

Qual o papel da área de Recrutamento e Seleção?

O principal papel da área de Recrutamento e Seleção é encontrar talentos com habilidades e conhecimentos necessários para ocupar as vagas disponíveis e que sejam profissionais com valores compatíveis com a cultura e objetivos da empresa.

O profissional ou empresa especializada em R&S deve trabalhar em conjunto com os gestores das áreas para coletar as informações prévias, como formação, habilidades, experiência e conhecimento, sobre a vaga que se pretende anunciar.

 

Como funciona o Recrutamento e Seleção?

O processo de recrutamento e seleção possui várias etapas, que, a depender da necessidade da empresa, podem ser suprimidas. 

Entre essas etapas podemos citar:

 

  • Analisar a real necessidade da vaga;
  • Prospectar os candidatos;
  • Triar os currículos;
  • Iniciar as entrevistas;
  • Realizar testes e provas técnicas;
  • Verificar os dados;
  • Comunicar a escolha da empresa.

 

Qual a importância do Recrutamento e Seleção?

Investir em um Recrutamento e Seleção especializado e focado é essencial para a empresa ter um diferencial competitivo no mercado.

Com o Recrutamento e Seleção bem estruturado, é possível conseguir captar talentos ideais para a empresa e obter grandes vantagens. 

A começar pela redução de turnover, que diminui a rotatividade de profissionais e consequentemente os custos, já que quanto menor a alternância de funcionários, menor será o número de processos de contratação, otimizando ainda mais os gastos.

 

Recrutamento e Seleção

Entendas as principais causas dos Turnover e absenteísmo nesse post 

 

Com a escolha correta do profissional, também obtém outras vantagens como maior produtividade, motivação e sucessão de liderança, já que todos estarão alinhados aos objetivos da empresa.

 

Tipos de Recrutamento e Seleção

Nesse tópico, vamos conhecer quais são os tipos de recrutamento, como funcionam e suas vantagens e desvantagens.

Atualmente, podemos falar que há:

 

  • Recrutamento interno (feito com colaboradores da empresa)
  • Recrutamento externo (divulgado para os profissionais do mercado) 
  • Recrutamento misto (que une os dois formatos) 
  • Recrutamento on-line

 

Cada tipo de recrutamento possui sua particularidade. Por isso, é importante conhecer cada um para entender qual melhor irá se aplicar na necessidade de Recrutamento e Seleção da empresa.

Recrutamento e Seleção interno: 

O recrutamento interno é aquele que acontece dentro da própria empresa. A oportunidade de trabalho é direcionada aos colaboradores que já fazem parte do quadro de funcionários e que desejam uma promoção ou novas oportunidades de crescimento na companhia. 

 

Vantagens: Diminuição dos custos dos processos, rapidez. Além de engajar, motivar e valorizar os profissionais com potencial. 

Desvantagens: Limitação de opções de candidatos. Isso pode desmotivar os colaboradores que não foram aprovados e gerar desconforto nos gestores que precisam liberar um profissional da equipe para participar do processo.

 

Recrutamento e Seleção externo:

O recrutamento externo é utilizado para contratar um profissional que esteja disponível no mercado de trabalho e que tenha as habilidades compatíveis com a vaga em aberto. Esse processo é ideal para quando a empresa precisa de um “novo olhar”, que pode agregar com suas experiências e conhecimento a equipe. 

 

Vantagens: Diversidade na escolha de candidatos e ter o banco de dados sempre atualizado com perfis potenciais compatíveis com as necessidades da empresa.

Desvantagens: Pode ser um processo mais caro e que demanda mais tempo, já que em muitos casos são necessárias várias etapas para definir quem será o novo colaborador. Outra desvantagem é o risco de causar desmotivação do time interno.

 

Recrutamento e Seleção misto:

O recrutamento misto é a junção do recrutamento interno com o recrutamento externo, oferecendo oportunidade de trabalho tanto para os colaboradores que já fazem parte do time, quanto para profissionais do mercado.

 

Vantagens: Descoberta de novos talentos e incentivo aos profissionais que já fazem parte da equipe. Assim, mostra o quanto a empresa está interessada em reter colaboradores e também em encontrar novos talentos, reforçando seu posicionamento de marca empregadora.

Desvantagens: O recrutamento misto pode acontecer simultaneamente ou de forma separada, caso algum processo tenha insucesso. De qualquer forma, o RH deve ficar atento para ser imparcial na seleção, considerando o talento que melhor preenche a vaga, independente se já faz parte do time ou não.

 

Recrutamento e Seleção on-line:

O recrutamento on-line é feito pela internet, usando softwares específicos que possam facilitar o processo de contratação, seja com testes ou entrevistas virtuais com o candidato. Através dessa modalidade é possível realizar tanto os recrutamentos externo e interno quanto o misto.

Com a pandemia do Coronavírus, houve um aumento exponencial desse formato de recrutamento. As empresas que estavam estruturadas para operar remotamente e que conseguiram investir em plataformas digitais conseguiram manter seus processos ativos e sem maiores impactos, apesar do isolamento social.

 

Vantagens: Para as empresas, esse é um processo mais rápido e econômico, tanto para o empregador, quanto para o profissional, que não precisa se deslocar para participar da seleção.

Desvantagens: Mesmo com diversos benefícios como a possibilidade de ampliar o alcance do processo, automatizar tarefas e oferecer suporte para essas demandas digitais pode ser complicado, exigindo investimento em tecnologia de ponta, adaptação dos processos e desenvolvimento e capacitação da equipe que vai operar neste formato.

 

Para saber mais, acesse nosso post falando exclusivamente sobre Tipos de Recrutamento 

 

Como construir um bom Recrutamento e Seleção?

Para construir um bom processo seletivo, é interessante seguir alguns caminhos que facilitam o processo de contratação e diminui o risco de contratar um profissional que não se enquadre ao perfil da empresa.

 

Defina a vaga

Defina a vaga descrevendo tudo o que o profissional precisa ter para se candidatar ao processo seletivo. Essa é a hora de informar as funções, habilidades e responsabilidades necessárias e também as contrapartidas como salários, benefícios e bonificações.

 

Divulgação

Divulgar a vaga para recrutar os candidatos e receber os currículos. A divulgação pode ser feita em sites de emprego, redes sociais da própria empresa, agências parceiras ou até mesmo no Linkedin, rede social específica para profissionais.

Importante priorizar os canais que estejam em sintonia com o perfil do candidato desejado. Por exemplo, para processos de trainees é indicado divulgar as vagas em Universidades, para vagas regionais é indicado explorar as mídias locais, etc. 

 

Roteiro de entrevistas

Criar um roteiro de entrevistas pode ser um bom caminho para direcionar a entrevista e avaliar melhor o candidato para entender se ele realmente se enquadra no perfil da vaga. Tente mesclar a entrevista com perguntas previamente elaboradas e deixe um espaço livre para fazer perguntas que não estavam programadas. Assim, a entrevista acontece com maior fluidez.

 

Dinâmica de grupo

As dinâmicas de grupo podem ser realizadas quando há interesse em saber como o candidato age em determinadas situações, seja diante de um problema ou em relação a outras pessoas. Existem diversos tipos de dinâmica de grupo, por isso, é importante entender qual faz mais sentido para o objetivo estabelecido.

 

Importância do Feedback

O feedback é a resposta dada aos candidatos e deve ser feita mesmo se o retorno for negativo. Informe ao candidato se ele passou ou não no processo e justifique. Isso mostra o quanto a empresa se preocupa com o valor humano.

 

Veja mais sobre a importância de dar feedback no processo seletivo neste artigo. 

 

Agentes do Recrutamento e Seleção

Há diversos profissionais envolvidos em um processo de Recrutamento e Seleção. Cada um tem suas habilidades e ficam responsáveis por executar determinadas funções na hora de escolher um novo colaborador para a empresa.

Entre esses profissionais, estão:

 

Recrutador

O recrutador é o profissional responsável por elaborar e executar o processo de seleção, usando técnicas e canais de divulgação para atrair pessoas para a vaga requisitada. É de extrema importância que esse profissional conheça bem a cultura da empresa, de forma que seja capaz de identificar o melhor perfil para a vaga.

 

Ele fará isso com o gestor da área que está solicitando o novo profissional e juntos irão traçar o perfil desejado para ocupar a nova vaga.

 

Headhunter

O Headhunter é o “caçador de talentos”. Esse profissional é ideal para identificar outros profissionais que melhor se enquadram para alguma oportunidade nas empresas e que exige algumas habilidades específicas, olhar mais estratégico ou perfil de liderança.

 

Esse profissional deve ter um olhar bastante analítico e possuir uma grande rede de contatos para identificar pessoas em potencial. Mesmo muitas vezes sendo um profissional pontual durante um processo de recrutamento e seleção, tem muita liberdade para fazer propostas em nome do contratante.

 

Business Partner

O Business Partner é literalmente o “parceiro de negócios”. Esse é o profissional responsável por fazer a mediação entre o departamento de Recursos Humanos e a demanda com as demais áreas da empresa. 

 

Muitas vezes ele avalia o caso solicitado e identifica qual a melhor ação a ser tomada. Em alguns casos, é possível até perceber que não é necessário um novo processo seletivo

naquele momento, uma mudança de cargo ou funções muitas vezes pode solucionar a questão.

Psicólogo

Muitas empresas não contam com um profissional psicólogo no departamento de Recursos Humanos, o que faz com que algumas análises durante a contratação sejam genéricas e não identifiquem realmente o perfil mais adequado para  a vaga.

 

Entretanto, a participação de um psicólogo durante o processo seletivo é um ativo muito valioso, já que apenas esse profissional consegue identificar se os colaboradores realmente terão condições mentais e comportamentais para realizar as tarefas solicitadas. 

Analista de R&S

O Analista de Recrutamento e Seleção é um profissional mais técnico dentro da área de Recursos Humanos e pode participar das diferentes etapas do processo, seja em seleção interna, externa ou mista.

 

Além de garantir que os contratados atendam os requisitos solicitados, é também o responsável por organizar todo o processo e dar o retorno aos candidatos que são recusados.

 

Ferramentas e técnicas de Recrutamento e Seleção

Existem diversas ferramentas e técnicas que podem ser usadas durante o processo de recrutamento em seleção. Podemos contar com:

 

  • LinkedIn: Ideal para anunciar vagas e encontrar candidatos com o perfil desejado.

 

  • Buscar Indicações: Caso não queira divulgar a vaga de forma extensa, busque indicação dentro da empresa ou de outros profissionais habituados com a cultura da empresa.

 

  • Softwares de análise comportamental: Ideal para conhecer o perfil do candidato e ver se suas expectativas estão alinhadas aos valores da empresa.

 

  • Aplicação de testes nos candidatos: Testes psicológicos e de conhecimento podem e devem ser aplicados para selecionar melhor os candidatos. Eles podem ser feitos de forma física ou on-line.

 

  • Dinâmica de grupo: Ideal para identificar como os candidatos interagem com outras pessoas e tomam decisões fora da zona de conforto.
  • Entrevistas: Mesmo com diversas técnicas e ferramentas, a entrevista continua sendo a principal maneira de conhecer o candidato. Nas primeira fases do processo seletivo, ferramentas digitais como Google Hangouts, Skype ou Zoom, ajudam a economizar tempo e diminuir custos. Durante o processo, entrevista em grupo também podem ser implementadas. Mas, a entrevista individual com o gestor da vaga ainda continua sendo de extrema importância.

 

Influência da cultura organizacional

A cultura organizacional influencia diretamente no processo de Recrutamento e Seleção, já que os valores e as crenças da empresa refletem diretamente no comportamento dos colaboradores e no ambiente de trabalho.

 

O que é Cultura organizacional?

A cultura organizacional está relacionada aos costumes, crenças e valores da empresa, responsável por influenciar o comportamento dos colaboradores no ambiente de trabalho.

 

Por isso, é de extrema importância o profissional de recrutamento e seleção saber conhecer a fundo a cultura da empresa, para identificar os profissionais que carregam os valores semelhantes ao da companhia.

Implementando a cultura

Com a cultura organizacional bem definida é preciso implementar entre os colaboradores e futuros colaboradores que irão fazer parte do time de profissionais.

 

O profissional de Recursos Humanos tem um papel fundamental nesse processo, já que é ele o responsável por disseminar o conceito dentro da empresa e identificar candidatos que estejam alinhados à cultura implementada.

 

Employer Branding

O Employer Branding tem como objetivo agregar valor e aumentar a satisfação dos colaboradores dentro da corporação, por meio da manutenção da imagem da empresa.  Esse é um processo feito a longo prazo, utilizando diversas técnicas entre o departamento de RH e o time de Comunicação e Marketing. Juntas, as áreas trabalham para que a marca empregadora tenha uma boa reputação e seja reconhecida por ser um bom lugar para trabalhar.

 

Esse é um dos maiores desafios do RH para atrair bons candidatos durante o processo seletivo. Já que uma percepção positiva da empresa no mercado ajuda e muito na conquista de  profissionais promissores e na retenção de talentos por mais tempo na empresa.

 

Recrutamento Estratégico: Processo seletivo, gestão de pessoas e resultados

 

O trabalho humano é um bem cada vez mais valioso dentro das empresas. Por isso, ter uma estratégia de recrutamento e seleção é fundamental para o sucesso de todo o processo na organização, não só no processo seletivo, mas também na gestão de pessoas e resultados.

Se o processo de recrutamento e seleção não tiver uma boa estratégia, a contratação pode ser ineficiente e resultar em queda de produtividade, aumento de turnover e prejuízos para a empresa e clientes a médio e longo prazo.

Por isso, o departamento de Recursos Humanos precisa pensar de forma estratégica, e não apenas operacional e burocrática.

 

Recrutamento e seleção humanizado

O recrutamento e seleção humanizado deve fazer parte da abordagem da empresa. O RH deve estar preparado para lidar com temas relacionados à diversidade, saúde mental e pessoas com deficiência de forma empática e sem preconceitos.

 

Recrutamento e seleção de pessoas com deficiência

Agregar pessoas com deficiência para o time da empresa pode trazer inúmeros benefícios para a organização, tanto no relacionamento interpessoal entre os colaboradores, como para a imagem da empresa.

No entanto, a área de Recursos Humanos precisa estar adaptada para a seleção e a contratação destes profissionais, tendo em vista que a falta de acessibilidade das empresas pode gerar algum desconforto e dificuldade aos candidatos.

 

Treinamentos e desenvolvimento

Os treinamentos e o desenvolvimento dos colaboradores e dos novos funcionários são de extrema importância para integrar as equipes à cultura organizacional da empresa.

Eles servem não só para capacitar e aprimorar os conhecimentos dos participantes, como também para melhorar a eficiência no processo operacional e fortalecer o engajamento e orgulho em pertencer a empresa.

 

Tecnologia e Recursos Humanos

A tecnologia é uma grande aliada da área de Recursos Humanos. Trabalhar com o suporte de ferramentas digitais e automatizadas durante o processo de recrutamento e seleção, além de acompanhar o desempenho dos colaboradores já contratados, pode tornar a rotina do profissional de RH muito mais prática e dinâmica, reduzindo custos durante todo o processo.

RH 4.0

O RH 4.0 tem trazido diversos ganhos para o time de recrutamento e seleção. Com o apoio da tecnologia, todo o processo se torna mais automatizado e contribui para decisões mais assertivas e estratégicas.

 

Com o uso da inteligência artificial, com máquinas e softwares feitos especialmente para a área, os processos operacionais se tornam mais fáceis e ágeis. Assim, o profissional de RH pode se dedicar ao planejamento e ter um pensamento mais estratégico dentro da empresa, trazendo soluções mais assertivas e aumentando a dedicação ao que mais importa: os colaboradores e o trabalho humano.

 

Como a Inteligência Artificial pode auxiliar nesse processo

A tecnologia está presente em diversas áreas, e, portanto, não pode ficar de fora da equipe de recrutamento e seleção.

Considerar softwares e plataformas com inteligência artificial, por exemplo, pode ser ideal nesse processo, pois ajuda a:

 

  • Automatizar processos;
  • Diminuir custos;
  • Aumentar produtividade;
  • Ser mais assertivo nas estratégias;
  • Tornar decisões mais imparciais.

 

Além disso, com as ferramentas adequadas, pode ser um grande suporte para definir e analisar indicadores da área.

 

Tendências do mercado em Recrutamento e Seleção

Assim como em Vendas e Marketing, o setor de Recrutamento e Seleção também tem sido impactado por novas tendências, transformando a área dentro das empresas.

A tendência de transição de ser uma área operacional para se tornar uma área estratégica tem sido uma das maiores mudanças do mercado. Portanto, questões tecnológicas como o uso de inteligência artificial para automatização de processos tem sido um dos fatores que mais têm contribuído para o dia a dia do RH.

 

Indicadores da área de Recrutamento e Seleção (KPI’s)

Indicadores da área de Recrutamento e Seleção, também conhecidos como KPI’s (Key Performance Indicators), mostram o desempenho de todo o trabalho. Eles são essenciais para mensurar os resultados de uma empresa.

 

O que são indicadores?

No caso do RH, os KPIs podem ser usados para mensurar questões como: turnover, eficácia e produtividade. Afinal, não basta contratar, é preciso entender se a contratação foi qualificada. 

Para isso, tenha métricas definidas para acompanhar melhor a evolução dos indicadores.

 

Indicadores internos

Entre os indicadores internos, podemos citar:

 

  • Turnover: O índice de turnover mede o número de admissões e demissões. Um turnover elevado mostra que há erros na contratação, já que os contratados provavelmente não tinham o perfil ideal para a vaga. Caso o turnover seja voluntário, quando parte do colaborador, pode ser ainda mais preocupante, em vista que mostra que ele ficou insatisfeito com as condições do dia a dia, a má gestão, os conflitos internos etc.
  • Taxa de Sucessão: Mede o quanto os talentos da empresa estão indo para cargos de liderança. Relevante para saber se as contratações estão subindo na hierarquia da empresa, o que reflete muito no sucesso do recrutamento a médio e longo prazo.
  • Time to hire (TTH): Indicador que mede o tempo entre o início e a conclusão do processo de contratação. Importante para saber se os recursos estão sendo utilizados de forma eficaz.
  • Personal cost (PECO): Essa métrica é referente aos gastos durante o processo. Um processo com altos gastos não está sendo eficiente. Por isso, é preciso analisar o “total dos custos relacionados às pessoas x o faturamento”.
  • Taxa de absenteísmo: Refere-se a análise de horas perdidas durante o horário de trabalho, seja por faltas ou atrasos. Mostra se o colaborador está sendo produtivo ou não durante a jornada.

 

Indicadores externos

Já entre os indicadores externos, podemos considerar:

 

  • Taxa de atratividade: Mede o quanto a vaga anunciada é realmente atrativa, baseada no volume de candidaturas. Entretanto, se a vaga não for anunciada de forma correta, pode acabar atraindo pessoas que não se adequam ao cargo.

Acompanhando esses indicadores e criando estratégias

Bons indicadores servem para dar uma visão mais nítida da contratação, ajudando a tomar decisões mais assertivas, reduzindo os gastos e contribuindo para a companhia se destacar em relação à concorrência.

Usar dashboards automatizados pode ser ideal para trabalhar com recrutamento mais estratégico, além de otimizar funções e tornar o processo seletivo mais prático e objetivo.

Outro ponto positivo de ter estratégia e indicadores bem definidos durante o processo de recrutamento e seleção é poder acompanhar os dados em tempo real e criar planos de ação para corrigir os problemas, a partir de metas estabelecidas previamente.

 

Parceiros no processo

Ter um parceiro no processo de recrutamento e seleção pode ser essencial para o sucesso da área de Recursos Humanos. Com um parceiro bem alinhado aos valores da empresa, é possível ter orientações mais consistentes para ajudar na melhor contratação, inclusive, em relação à tendências de contratação.

 

Terceirização do R&S

Como vimos, a área de Recursos Humanos tem ganhado cada vez mais relevância e se tornado cada vez mais estratégica, por isso, terceirizar o processo de recrutamento e seleção e fazer apenas o acompanhamento do desempenho no dia a dia pode ser uma boa alternativa para formar equipes de alta performance.

Uma das vantagens de terceirizar o processo de recrutamento e seleção é que, contando com uma empresa especializada, a análise se torna mais minuciosa, sendo possível fazer avaliações mais qualificadas e aprofundadas.

Com uma empresa terceirizada, o processo de seleção também fica mais rápido e assertivo, já que terá uma equipe especializada e dedicada para isso.

 

Você quer saber mais sobre esse processo e implantar em sua empresa? Converse com um dos nossos especialistas, eles terão as melhores soluções para o seu negócio.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp