6 indicadores de treinamento para analisar no RH

indicadores de treinamento

Tudo que é mensurável passa informações essenciais para que um trabalho seja bem-feito e de qualidade. Com dados em mãos, é possível melhorar e aprimorar processos que, até então, não eram tão eficientes assim. É por isso que, dentro do RH, os indicadores de treinamento são ferramentas fundamentais para a empresa.

Quer ver um dado interessante? De acordo com uma Pesquisa da Isma Brasil, 72% das pessoas estão insatisfeitas com o trabalho, e a maioria é por falta de reconhecimento. Isso é um dado para o RH trabalhar dentro de uma organização, melhorando a motivação, reconhecendo o trabalho e, assim, gerando mais resultados.

Essa é uma tarefa que começa desde a contratação, passando pela carreira do colaborador dentro da empresa. Para você conhecer os principais indicadores de treinamento, continue conosco neste post!

O que são os indicadores de treinamento?

Os indicadores de treinamento e desenvolvimento são dados que levam a equipe de RH a aprimorar e buscar e excelência na hora de contratar, treinar e capacitar o funcionário de um departamento. Dessa maneira, por meio de métricas, a empresa conseguirá comprovar se as ações promovidas geram resultados esperados.

Imagine um negócio gastar tempo e dinheiro em um treinamento para levar educação empresarial aos colaboradores. Depois do curso, como saber se ele foi eficaz no que a companhia se propôs a fazer? Para isso servem os indicadores, avaliando o antes, o durante e o depois de cada treinamento.

Alguns desses indicadores, como avaliação de comportamento, taxa de abandono, entre outros, mostram para o RH como gerenciar de forma estratégica os treinamentos. Assim, ele saberá quais práticas deram bons resultados, podendo aferir tudo e mostrando a relevância do curso.

Qual a importância dos indicadores de treinamento?

No mundo corporativo, ter eficiência em qualquer trabalho gera mais resultados e menos despesas. Assim, o objetivo do departamento de Recursos Humanos é definir os indicadores de treinamento para cada área, realizando a coleta de informações e aprimorando os processos.

A importância dos indicadores está relacionada a vários fatores, desde analisar os gastos do treinamento até a satisfação do colaborador com ele.

Imagine que o TI de uma empresa, por exemplo, tem um ótimo trabalho em equipe, mas precisa desenvolver um lado mais técnico para um programa novo. Será mais útil buscar por treinamentos para o software do que um treinamento comportamental. Com certeza, a taxa de adesão será maior.

Com a maior precisão das informações coletadas pelos indicadores, melhor será a tomada de decisão da empresa para desenvolver o time. Além disso, a companhia conseguirá criar planos de carreira e formações mais sólidas, fazendo o colaborador se desenvolver dentro da empresa. Isso gera a otimização dos resultados e uma fidelidade maior do funcionário.

Quais os 6 principais indicadores de treinamento?

Agora que você sabe o que são os indicadores e a importância deles dentro da organização, vamos trazer os seis principais que o RH deve instituir dentro da rotina de trabalho.

1. Taxa de adesão

Não adianta gastar tempo e dinheiro com treinamentos se a taxa de adesão é baixa. Aliás, esse é um indicador de algo errado, e que é preciso buscar uma solução.

Para que mudanças sejam feitas por meio do treinamento, é preciso que uma parcela da empresa participe. Uma baixa adesão pode indicar divulgação ruim, baixo interesse dos funcionários e pouca relevância do tema.

lideranca

A conta é simples: basta dividir o número de pessoas que foram ao curso pelo total de funcionários.

2. Custo per capita

Com a taxa de adesão é possível mensurar também quanto a empresa gastou por funcionário para o treinamento. Para chegar a esse número, é preciso somar todos os gastos durante o evento, desde material, metodologia, palestrante e até o coffee break.

Depois é só dividir pelo número de participantes do treinamento. Essa métrica é fundamental para saber quanto é gasto com aprendizagem para cada funcionário.

3. Taxa de retenção

Essa métrica é vital para treinamentos mais longos, que duram dias ou, até mesmo, semanas. Ela aponta quantos colaboradores começaram e finalizaram todo o processo, avaliando também quantos o abandonaram.

Assim é possível aferir se o conteúdo e a metodologia tiveram problemas e no que é possível melhorar. Assuntos desinteressantes ou que o colaborador já domina tendem a desmotivá-lo a participar.

4. Aplicação do aprendizado

Quando a empresa se propõe a dar um treinamento, espera que o colaborador absorva o conhecimento e o coloque em prática. Para isso, a taxa de aplicação do aprendizado é a melhor métrica e trará dados se o profissional aprendeu o conteúdo e se ele está sendo aplicado.

É um indicador pós-treinamento e precisa ser feito em um timing ideal, porque o colaborador precisará de tempo para colocar tudo em prática. Fazer testes antes e depois do treinamento trará uma métrica boa sobre o aprendizado, mas a prática será apenas com o tempo mesmo.

5. Avaliação de comportamento

Treinamentos sobre poder de negociação, atendimento ao cliente, liderança e gestão de projetos estão em alta, e todos são ótimos para melhorar as soft skills.

A avaliação de comportamento mede se a capacitação surtiu efeito nos colaboradores e se eles realmente melhoraram o comportamento. O dado ajuda a aprimorar o ambiente interno, o atendimento ao cliente e, até mesmo, a comunicação e a disseminação do conteúdo aprendido.

6. Avaliação de satisfação

Se os indicadores de treinamento ajudam a melhorar a eficiência da empresa, a avaliação de satisfação é fundamental para aprimorar os próximos cursos. Após o evento, é interessante captar o feedback dos participantes, seja por escalas numéricas ou perguntas diretas.

O questionário deve ser amplo, mas tente não deixá-lo longo, trazendo dados comportamentais observáveis, concretos e melhorias. Alguns exemplos são “o conteúdo do curso foi valioso para você?” e “o que achou da estrutura do treinamento?”

Qual a importância de fazer a metrificação do trabalho?

Essas métricas auxiliam a empresa a investir mais e melhor no funcionário, mas como captar e analisar? Bom, a tecnologia ajuda a coletar informações por meio de formulários digitais, e-mails e outros softwares. A análise é feita em conjunto com a equipe de RH e líderes para avaliar o sucesso do treinamento.

Os indicadores de treinamento ajudam a empresa a crescer de forma sustentável por criarem um desenvolvimento humano organizacional. Vale a pena apostar!

Quer saber mais sobre isso e ver dicas? Confira este texto sobre DHO e suas atribuições.

ebook headhunting
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp