Currículo diferenciado: 6 pontos que podem te beneficiar

currículo diferenciado

Está em busca de emprego e precisa se destacar dos outros candidatos? Então a solução pode estar em apostar em um currículo diferenciado. Independentemente do estágio da carreira em que você esteja — seja em busca da primeira oportunidade ou em um processo de recolocação profissional — é importante ter em mente que, em alguns casos, apenas repetir o que os outros fazem pode não ser o suficiente.

Quando você investe em um currículo bem estruturado e que contenha as informações certas, aumenta as chances de conseguir uma boa vaga. Por este motivo, neste post listamos 6 dicas de como você pode usar alguns diferenciais a seu favor no currículo e no momento da entrevista ou do processo seletivo. Confira!

1. Fale sobre as suas experiências

Encare essa etapa como se você precisasse contar uma história ao recrutador e esse seja o começo dela. A ideia, então, é listar as suas experiências profissionais e o recomendado é começar das mais recentes e passar pelas mais antigas. Em cada um desses itens, você precisa descrever o cargo que exerceu e fazer um breve resumo das atividades que realizou.

Para deixar o seu currículo ainda mais interessante, se você tiver alguma experiência no exterior vale destacá-la. Como regra geral, faça um filtro e liste apenas as vivências que não tenham sido de lazer, como viagens.

Elenque apenas aquilo que pode ter oferecido a obtenção de alguma habilidade determinada ou qualquer tarefa realizada em ambiente acadêmico ou profissional — como um intercâmbio, cursos de verão, cursos de pós-graduação etc.

2. Cite os trabalhos voluntários que já realizou

Realizou algum tipo de trabalho voluntário durante a vida? Então dedique uma seção do currículo para falar um pouco sobre isso. O voluntariado, de maneira geral, pode passar uma mensagem muito positiva para o RH.

Isso porque ele mostra que você adquiriu experiências, habilidades e competências e aumentou a rede de relacionamentos. Quando você se voluntaria para ajudar alguém ou alguma causa, essa ação sinaliza a sua empatia em um momento em que soft skills e habilidades interpessoais são cada vez mais valorizadas no mercado de trabalho.

As experiências de trabalho voluntário se tornam um destaque a mais no seu currículo principalmente se você for um candidato recém saído da faculdade e ainda não tem nenhuma experiência profissional para listar. Caso esteja pretendendo mudar de carreira, é uma das melhores maneiras de mostrar para o recrutador que você é um colaborador multitarefas e interessado em trabalho em equipe.

3. Conte sobre as suas atividades extracurriculares

As atividades extracurriculares podem ser utilizadas no seu currículo para enfatizar as habilidades que você desenvolveu fora do escopo profissional, mas que fazem sentido para a vaga em questão.

Elas podem incluir alguns hobbies, projetos pessoais que sejam relevantes, cursos de idiomas, empreendimentos, atividades artísticas e esportivas etc. O mais importante nessa etapa é destacar a relevância dessas informações e o quanto ela valoriza ainda mais o seu currículo.

Para ficar mais claro, alguns exemplos de atividades extracurriculares que podem ser incluídas são:

  • reconhecimentos e prêmios recebidos;
  • certificados de proficiência em idiomas — como o TOEFL;
  • workshops, simpósios e palestras;
  • registro no Conselho Regional da sua profissão, se for o caso.

4. Utilize palavras-chave estratégicas

Quando for desenvolver o seu currículo, o foco deve estar em facilitar o trabalho do recrutador para que ele consiga encontrar todas as informações rapidamente. Isso porque caso isso não aconteça, pode ser que sua participação no processo seletivo seja descartada simplesmente porque tudo o que foi escrito no documento não faça muito sentido.

Então, você precisa garantir que o seu currículo esteja, no mínimo, dividido em seções que destaquem seus pontos fortes. As mais utilizadas são: dados pessoais, formação acadêmica, histórico profissional, experiências extras e assim por diante.

Lembre-se de que para otimizar a etapa de buscas por candidatos, o RH utiliza filtros com palavras-chave — principalmente nas triagens iniciais. Por esse motivo, também é importante que você insira no seu currículo alguns termos que sejam capazes de mostrar com bastante clareza todos os seus conhecimentos. Assim, as suas chances de convite para participar de entrevistas aumentam.

5. Liste as suas conquistas anteriores

Quando você simplesmente cita as posições que já ocupou em outras empresas e as funções que desempenhou durante a sua trajetória, você explica aos recrutadores o que você já fez. Mas, por mais que essa seja uma parte bastante importante no currículo, ela acaba deixando de lado um aspecto que é tão relevante quanto: o resultado alcançado nessas posições.

Para que você consiga provar o seu valor e, acima de tudo, mostrar toda a sua competência, uma boa estratégia é dar exemplos de como a sua experiência e todo o seu conhecimento impactaram nas suas posições profissionais anteriores. Aqui, você pode incluir desde a conquista de novos clientes até mudanças logísticas e otimização do fluxo de trabalho — se for o caso.

Um ponto que merece atenção nessa parte do processo é que, para ser mencionada, a conquista profissional precisa, além de solucionar uma demanda na prática, que possa ser mensurável. Como exemplo, em uma situação hipotética você pode mencionar rapidamente que por conta do resultado de uma iniciativa X que você teve, a produtividade da equipe cresceu 39%.

Você precisa ter em mente que a possibilidade de medir os avanços alcançados pela sua realização é o que a tornará um dado confiável. Por isso, todos os dados informados aqui precisam ser reais.

6. Seja seletivo nas informações

Essa última dica é bastante importante porque pode ser que você tenha participado de vários projetos interessantes durante a sua trajetória profissional, feito diversos cursos livres e ter conquistado várias realizações. Mas será que é realmente necessário inserir todas essas informações no currículo? Dependendo da vaga pretendida, a resposta é: não.

Você só precisa incluir nesse documento o que for extremamente importante e necessário para o momento. Ou seja, aproveite o espaço para listar tudo o que demonstra as suas habilidades para a oportunidade em questão e que possa agregar valor ao trabalho que será realizado.

Por esse motivo, não é preciso mencionar todas as escolas em que você estudou no ensino fundamental, por exemplo. Talvez você tenha feito um curso rápido que achou que agregaria valor para a sua trajetória profissional, mas que não faça sentido para a vaga em questão. Então, tenha muito bom senso nessa etapa.

Lembre-se de que é importante inserir todas essas informações para ter um currículo diferenciado que chame a atenção do RH, mas também é essencial que você consiga falar sobre elas durante a entrevista de emprego. Então, se prepare para esse momento, mantenha a calma e esteja pronto para mostrar para os recrutadores tudo o que mais importa sobre você e a sua experiência profissional até o momento.

Gostou do assunto tratado neste artigo? Então aproveite e curta a nossa página do Facebook para receber mais conteúdo tão relevante e interessante quanto esse diretamente no seu feed de notícias!

ebook headhunting
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp