Liderança situacional: o que é, quais os tipos e como desenvolver?

liderança situacional

Uma das principais características de bons líderes é a sua capacidade de adaptação a cenários variados. Cada profissional tem a sua própria personalidade, que vai impactar diretamente no modo como ele deve ser liderado. Por isso, os gestores precisam ter diferentes abordagens, para lidar com as diferenças e garantir o engajamento dos times.

Essa necessidade deu origem aos modelos diferenciados de liderança situacional. Afinal, esses profissionais precisam se adaptar aos liderados, fornecer explicações sobre erros, levar respostas aos questionamentos dos superiores e tomar decisões difíceis. Existem alguns tipos que podem ser ideais para determinadas empresas e é sobre esse assunto que vamos tratar neste artigo.

Gostaria de compreender o que é a liderança situacional e quais os seus modelos? Siga em frente!

O que é a liderança situacional?

Liderança situacional é um termo que se refere a uma teoria que surgiu em 1969, com o livro publicado por Paul Hersey e Ken Blanchard, denominado “A Teoria e as Técnicas da Liderança Situacional”. Trata-se de uma compreensão das atividades de gestão e o entendimento de que existem várias formas corretas de ser um ótimo líder.

Os autores deixaram claro que os melhores líderes são aqueles que sabem agir de maneira distinta, com talentos diferentes, e explicaram diversos detalhes relacionados ao tema. De acordo com a teoria, não é necessário criar uma série de regras e decorá-las para fazer a aplicação na prática. Existe uma forma interessante para associar e modificar as condutas.

Quais são os tipos de liderança situacional?

Como você pode ver, a liderança situacional disponibiliza alternativas para a formação de líderes que serão capazes de reconhecer e seguir o melhor caminho diante de circunstâncias que se modificam. Não existem estilos perfeitos de liderança, porém, com o auxílio dessa teoria, fica mais fácil preparar os gestores para terem sucesso em suas rotinas.

Direção

A direção é uma modalidade de liderança na qual o líder adota a postura de direcionar os subordinados, ou seja, mostrar aos colaboradores o que precisa e como deve ser feito. Os liderados aprendem sobre as suas atividades e ainda têm sensações de insegurança, alto comprometimento, mas baixa competência.

Por essa razão, o líder supervisiona a execução das tarefas pelo colaborador e, se perceber alguma falha, indica o que precisa ser corrigido. Esse estilo requer da liderança o acompanhamento regular, o fornecimento de informações claras e o investimento de tempo para treinar o liderado. Ao perceber resultados positivos, o gestor precisa celebrar e motivar o subordinado.

Orientação

Esse estágio ficou conhecido como sendo o segundo nível, no qual o subordinado ainda não confia completamente nas suas habilidades, apesar de já estar adaptado ao ambiente de trabalho. Diante disso, a liderança continuará a supervisionar e dar feedbacks para a realização de melhorias. O líder pode apresentar sugestões novas, que contribuirão para o desempenho do colaborador.

Apoio

O estilo de apoio se refere ao momento no qual a liderança oferece maior autonomia ao subordinado. O liderado começa a executar as suas tarefas com um respaldo maior, pois se sente competente para as atividades que desempenha. Ele ainda não demonstra comprometimento total e pode parecer inconsistente.

headhunting

Desse modo, a liderança terá que dar apoio ao liderado e se mostrar presente, apesar de não realizar um acompanhamento frequente. O líder demonstra que está presente e disposto a apoiar, enquanto monitora os serviços para assegurar que os níveis exigidos sejam realmente atingidos pelo subordinado. Nessas circunstâncias, o gestor mantém um relacionamento com os integrantes do time.

Delegação

O último modelo de liderança permite que o líder se afaste um pouco mais dos liderados. Isso ocorre porque os colaboradores se encontram altamente comprometidos e com as suas competências desenvolvidas para tomar decisões acertadas. Os liderados já conseguem decidir e assumir responsabilidades pelos acontecimentos decorrentes de suas ações no trabalho.

A supervisão é mínima, em virtude da maturidade que os liderados têm e do fato de saberem exatamente o que a empresa requer deles. A liderança delega as tarefas e realiza o acompanhamento, para se certificar de que terá excelentes resultados ou que as metas e os objetivos serão alcançados. Assim, o líder fica mais livre para atuar.

Quais são os seus benefícios?

A liderança situacional tem capacidade para ouvir as opiniões dos seus liderados e encontra soluções apropriadas para as dificuldades apontadas. Os conflitos internos diminuem, a equipe se mostra eficiente e todos colaboram para um clima saudável. Veja, a seguir, os principais benefícios de os gestores aplicarem os estilos mencionados na empresa!

Eficiência da comunicação

Um profissional que opta por aplicar os modelos de liderança situacional consegue ter eficiência na comunicação. Ele transmite com clareza as políticas e a cultura do negócio, ajuda os subordinados e compreende o que se espera dele com objetividade. Com isso, os colaboradores têm ciência e segurança de que conseguirão enfrentar as dificuldades.

Fortalecimento do clima organizacional

A flexibilidade da liderança pode levar uma organização a atingir um novo patamar, sem pressionar os liderados ou usar condutas autoritárias. Consequentemente, o clima organizacional fica mais positivo, os times se sentem motivados e os objetivos são mais rapidamente alcançados. Ainda, o índice de rotatividade diminui, o padrão de qualidade se eleva e a produção aumenta.

Resiliência da equipe

Com os estilos da liderança situacional, se torna possível criar um ambiente com perfeitas condições de atuação. Os modelos criados pelos autores auxiliam os líderes a encontrar meios para aprimorar os processos e para trabalhar com os times adequadamente. E os colaboradores, ao serem compreendidos, se sentem parte do negócio e potencializam o seu desempenho.

Como desenvolver a liderança situacional?

É importante aplicar a liderança situacional para o desenvolvimento das equipes, criar processos dinâmicos e atender às demandas com efetividade. Essa teoria é uma ferramenta relevante para melhorar a gestão dos colaboradores e promover o seu aprendizado. Observe, abaixo, as dicas para introduzir essas técnicas em suas rotinas:

  • conheça as particularidades da equipe;
  • defina as expectativas;
  • ajuste o estilo de liderança;
  • direcione as atividades.

Entendeu o que é, quais os tipos e como desenvolver a liderança situacional? Na prática, é necessário ter alguns cuidados em relação à maturidade dos liderados. Esteja disposto a apoiar, delegar tarefas, treinar e direcionar os colaboradores em suas atribuições. Descubra qual é a melhor forma de agir e aplique os seus conhecimentos todos os dias.

Gostou do conteúdo? Então, siga nosso Facebook, Instagram e LinkedIn para acompanhar todas as publicações!

ebook headhunting
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Nestes 60 anos de Grupo Seres, o mundo transformou-se, e nós, como verdadeiros especialistas em gente, evoluímos junto com ele.  Para marcar esta ocasião especial, vamos embarcar em uma viagem nostálgica, destacando fatos marcantes e curiosidades que pontuaram a história. Acompanhe-nos nesta celebração: