O perfil do novo líder pós-pandemia

Líder pós-pandemia

Por conta da pandemia do Coronavírus, grande parte das empresas foi obrigada a se adaptar ao home office ou a outras maneiras de continuarem suas atividades.

E, em meio a tudo isso, é evidente que as organizações tiveram que repensar seus processos e rotinas, tendo a liderança o papel fundamental nestes treinamentos e transformações.

Para te ajudar, separamos algumas dicas e avaliações de tudo que precisa saber sobre o perfil esperado do novo líder pós-pandemia. Confira!

Já falamos antes quais são as principais características de um bom líder, confira aqui.

 

Quais competências estão sendo mais exigidas de um líder pós-pandemia?

Dizem que é na crise que vemos aflorar o melhor e o pior das pessoas, e, no caso de um profissional que está à frente das decisões, isso fica ainda mais evidente.

Diante dessa nova realidade, entendemos que algumas competências são mais requisitadas dos gestores. Algumas delas:

 

Resiliência e criatividade

Em tempos de crise, é natural que o sentimento de tensão e a carga de trabalho acabem dificultando a performance. Ter capacidade de se adaptar a diferentes cenários é uma habilidade que será fundamental para superar este período.

Em um novo contexto profissional, cenários inesperados surgirão de forma mais frequente, colocando em xeque todas as experiências e conhecimentos que adquirimos até então. Afinal, isso já não está acontecendo?

Neste cenário desconhecido, decisões exigirão cada vez mais feeling e análises complexas, envolvendo alguma subjetividade, o que tornará a criatividade indispensável para que boas soluções sejam encontradas com agilidade.

Imagina uma tempestade acontecendo e o capitão desesperado! Isso não pode, não é mesmo? Os líderes deverão ter a capacidade de manter a direção, mesmo sem bússola.

As equipes demandarão como nunca, e as respostas nem sempre serão fáceis, sendo algumas vezes reformuladas. Os líderes precisarão manter a calma e a flexibilidade para garantir coordenadas mais assertivas.

As duas características refletem o potencial do gestor em ter o controle de condições extremas e conseguir pensar fora da caixa para criar soluções inovadoras.

 

Comunicação

A comunicação clara e assertiva é um pilar que está cada vez mais em voga, já que as atualizações estão cada vez mais rápidas e constantes.

Sabemos que essa é uma habilidade comum, mas a responsabilidade de conduzi-la da melhor maneira possível e evitar ruídos não é tarefa nada fácil.

As formas de interação estão cada vez mais remotas e através de plataformas digitais, que podem não ser tão familiar a todos, sendo necessário o treinamento e desenvolvimento da equipe.

É muito importante que o processo de feedback ocorra imediatamente após a divulgação de informações importantes, garantindo que a mensagem certa foi passada para a equipe.

Devemos considerar também ruídos por oscilação ou falha de conexão com a internet, que podem atrapalhar a audição e a compreensão. Por isso, não hesite em ratificar o conteúdo das mensagens importantes, de formas e em momentos diferentes.

O papel dos líderes é o de tomar a frente e dar exemplos com suas atitudes, mas claro, sem deixar de ouvir seus colaboradores.

 

Controle

Ao longo do período de adaptação a este novo cenário, a tendência é que a ansiedade da equipe diminua.

Porém, esse é um processo que não será fácil e, em alguns casos, também não será rápido.

Isso faz com que o líder precise revisar suas estratégias para assumir o comando de forma a dar o máximo de segurança para os colaboradores realizarem suas atividades, seja através de conversas, treinamentos ou desenvolvimentos individuais.

 

Como um líder deve controlar as demandas e entregas à distância

 

Não é incomum que os profissionais tenham variações no rendimento durante o home office em relação a suas atividades presenciais.

Porém, para que isso ocorra de forma positiva, é preciso ter um bom acompanhamento e gerenciamento.

Para que a equipe consiga manter um bom desempenho, mesmo estando à distância, é fundamental seguir algumas premissas. Veja algumas dicas:

Como um líder deve controlar as demandas e entregas à distância

CTA Horizontal 10
CTA 5NV 04 1
CTA Lideranca 4.0 o que voce precisa saber sobre isso2
  • Na medida do possível, esteja sempre disponível. Deixe a porta aberta para a equipe entrar em contato com você sobre todos os assuntos;
  • Trabalhe com softwares de gerenciamento de equipes remotas;
  • Liste as prioridades;
  • Tenha prazos bem definidos para as tarefas;
  • Garanta que os direcionamentos sejam claros, para evitar retrabalho;
  • Desenvolva a equipe e dê maior autonomia aos colaboradores para evitar a sobrecarga do líder.

Motive a si mesmo e a equipe

Manter a própria motivação e a da equipe é outro grande desafio a ser vencido neste período. Adaptar o ambiente pessoal para trabalho é apenas um dos mais evidentes.

Porém, existem outros pontos mais subjetivos e complexos que acabam surgindo neste processo.

Para combatê-los, colocamos algumas dicas essenciais a seguir:

Estabeleça uma rotina

O cérebro humano é muito bem adaptado a padrões e rotinas, isso ajuda a economizar energia.

Para que isso aconteça, desenhe uma lista de tarefas e horários possíveis de serem cumpridos e cumpra!

Tentar reservar um espaço da casa exclusivo para trabalho ajudará você e os demais membros da família a entender os limites e diminuir as interferências que causam distração.

Não esqueça do cafezinho!

Temos o hábito de achar que o home office deve ser imóvel frente ao computador, mas isso é errado. Devemos ter sim o tempo do cafezinho, de ir ao banheiro etc. São momentos que permitem movimentar o corpo e gerar ativação física, que contribui para estímulos nervosos e ajudam na concentração e no foco.

Seja mais participativo e compreensivo

Para conseguir manter o engajamento e garantir a estabilidade emocional da equipe, é importante que o líder assuma uma posição mais presente.

Se você estiver gerenciando uma equipe remota, tenha um contato mais próximo, porém, sem exageros.

Lembre-se que esse deve ser um contato de apoio e não de vigilância.

Busque entender as dificuldades dos seus colaboradores e se dispor a ajudar no que for possível para manter o desempenho.

Mantenha sua equipe unida, ainda que distante

Um dos maiores choques que as pessoas sentem ao mudar de uma rotina de trabalho convencional para a remota é o isolamento.

Naturalmente, somos seres sociais e muitas pessoas acabam sofrendo por conta desse distanciamento forçado.

Um dos papéis do líder nessa situação é buscar manter o senso de comunidade e união da equipe, ainda que estejam fisicamente separados.

Uma maneira de fazer isso é através de reuniões e grupos profissionais.

Dica! Veja atividades sociais que faziam em grupo quando estavam no escritório e tente replicar, mesmo que remotamente.

Exemplo: Pode ter café da manhã remoto? Sim, pode! Combine para que todos preparem seus cafés, degustem e conversem enquanto a interação e o quebra gelo acontecem. Isso será o máximo!

Crie novas metas e estratégias

“Nenhum plano sobrevive ao campo de batalha” (Helmuth von Moltke)

Essa frase se materializa à medida que as empresas e seus líderes começam a se adaptar no enfrentamento da crise.

Como este era um cenário que ninguém esperava, é preciso rever toda a estratégia e o planejamento. Assim como, com as mudanças das prioridades, as metas também precisarão ser ajustadas.

A realização de treinamento e desenvolvimento para capacitar a equipe e a liderança para estas novas características e exigências pode ajudar na adaptação e retomada.

 

E, como podemos te ajudar neste momento

Nós, do Grupo SERES, somos uma das principais empresas que proveem soluções de Gestão de Pessoas no país.

Nosso principal objetivo é conectar pessoas e propósitos dentro do mundo corporativo.

Para contribuir com este novo cenário instalado, temos uma solução dedicada à treinamento e desenvolvimento de líderes, uma plataforma de educação corporativa que reúne conteúdos de gestão no formato blended learning.

A proposta é reenquadrar a liderança ou o aspirante a líder a um novo contexto, onde o papel deixa de ser “dizer o que deve ser feito” e passa a ser “formar pessoas aptas a criar novos caminhos na construção das melhores soluções”.

O objetivo é destravar o potencial das lideranças para que alcancem a melhor versão delas mesmas, estimulando a autonomia e a colaboração dos times, além de inspirar e apoiar o desenvolvimento individual de cada pessoa da equipe.

Este líder precisa desenvolver novas competências e uma visão holística que irá integrar outros conceitos relacionados à ciência, psicologia, sociologia, diversidade, conectividade, inteligência artificial etc., por meio da vivência e experiência de aprendizagem transformadoras.

Estamos falando de reavaliar as velhas práticas de liderança e abrir espaço para uma gestão que equilibre a afetividade e a efetividade, refletindo em equipes mais engajadas e na superação dos resultados.

Nós podemos te ajudar? Fale com a nossa equipe!

CTA 4NH 04
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp