Gestão de pessoas: qual é o modelo ideal?

Gestão de pessoas

 

Gestão, atualmente, é a palavra de ordem para conseguir sucesso e bons resultados em um empreendimento. O gerenciamento das ações deve ser completo e em todas as áreas, começando no processo de recrutamento até o possível desligamento do funcionário. Por isso, as empresas têm investido na gestão de pessoas, que resume-se a um conjunto de métodos para administrar os colaboradores, considerando as habilidades de cada um.

O trabalho, como dito anteriormente, começa na contratação. Depois têm foco no estímulo e desenvolvimento dos funcionários para que cresçam e tornem-se mais preparados no trabalho.

Vale ressaltar que esse papel não é apenas do setor de Recursos Humanos, mas também da administração e lideranças. O trabalho em conjunto, alinhado às práticas do RH, tende a obter mudanças e resultados positivos. Mas como se trata de pessoas, não vale somente ter um modelo engessado de gestão. É importante manter a atenção para estar sempre adequado às particularidades das equipes e às necessidades que podem surgir.

 

A relação da cultura organizacional com a gestão de pessoas

A cultura organizacional deve estar sempre clara aos diferentes colaboradores para que a empresa tenha engajamento e equipes integradas. Todos devem estar alinhados aos costumes, valores e crenças da organização. Afinal, é isso que gera os bons resultados.

Todo negócio que visa o capital humano deve dar atenção à maneira como cada colaborador se desenvolve dentro de sua atividade. No entanto, existem diferentes tipos de lideranças, de maneiras de exercer o trabalho e de se relacionar. Cada empreendimento tem a sua singularidade, contemplando gestões flexíveis ou centralizadas. O trabalho da gestão, inclusive, consegue identificar os funcionários e parceiros que não encaixam-se aos processos, sistemas e hábitos.

 

Conheça os tipos de gestão de pessoas

 

1)      Autocrática

A gestão autocrática centraliza as decisões nas chefias. Geralmente, em uma única pessoa. Desse modo, as lideranças e gestores dependem de autorização da administração para a tomada de decisão. Eles possuem pouca autoridade. Esse tipo de gestão tem custo reduzido, no entanto, acaba demonstrando pouca preocupação com o bem-estar e desenvolvimento dos colaboradores. Em alguns casos, o engessamento do trabalho pode comprometer os resultados, mostrando-se um modelo ineficaz.

 

2)      Por competência

Ainda em desenvolvimento e em constantes adaptações, é um dos modelos de gestão de pessoas mais buscados atualmente. Nela, os funcionários são valorizados e recompensados por seus méritos, desenvolvimentos e resultados alcançados. Este tipo de administração permite que os colaboradores tenham autonomia e participem mais do crescimento do negócio. Os feedbacks, acompanhamentos e avaliações são realizados continuamente.

 

3)      Democrática ou flexível

Modelo de gestão de pessoas colaborativo com maior participação de todos na tomada de decisão. Valoriza os funcionários e, por isso, faz com que sejam ouvidos e respeitados. Depende do trabalho em conjunto para atingir os objetivos e, muitas vezes, oferece treinamentos e aplica avaliações de desempenho. É um dos modos de administração mais comuns no mercado de trabalho atual.

 

Antes de adotar um modelo de gestão de pessoas, as empresas precisam avaliar criteriosamente as mudanças que serão necessárias e como as mudanças internas e externas podem impactar a sua marca. Buscar uma administração consciente, que atenda aos princípios e fatores econômicos da empresa é um dos primeiros passos para realizar uma escolha bem sucedida.

Gostou desse conteúdo? Para mais conferir mais conteúdo relevantes para o seu RH, confira nosso blog!

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp