7 indicadores de desempenho de RH para você acompanhar

indicadores de desempenho

As estratégias do setor de RH estão fazendo a diferença na sua empresa? Caso a resposta seja negativa, é preciso pensar em uma solução, e os indicadores de desempenho podem ajudar nessa tarefa. Por meio dessas métricas, é possível medir os resultados e os impactos das ações de gestão de pessoas.

Fazer o acompanhamento das métricas é importante porque, com os dados obtidos, pode-se melhorar os resultados do setor ou mesmo do negócio de maneira geral. Por esse motivo, neste texto, apresentaremos 7 indicadores de desempenho de RH para que você passe a implementá-los desde já. Acompanhe!

1. Headcount

O headcount é um dos principais indicadores de desempenho porque tem como objetivo representar a quantidade de profissionais de uma empresa. Também indica se esse número diminuiu ou aumentou ao longo de um período específico na trajetória do negócio.

Além de deixar o trabalho do RH mais eficaz, o headcount apresenta muitos outros benefícios para a empresa, como proporcionar uma gestão ainda mais organizada e estratégica. Assim, todas as metas e os objetivos traçados têm maiores chances de serem alcançados.

2. Taxa de absenteísmo

O absenteísmo é quando o profissional se ausenta de alguma atividade por um motivo específico. É considerado um dos maiores desafios a serem superados porque pode trazer consequências para o negócio como um todo.

A taxa de absenteísmo permite medir os atrasos, os afastamentos e, principalmente, as faltas. Quando está elevada, pode demonstrar tanto o desinteresse do profissional em questão quanto outros problemas relacionados à sua vida — ou à própria gestão.

3. Índice de rotatividade

Também chamado de turnover, esse indicador é utilizado para medir a saída de profissionais do quadro de colaboradores da empresa. É uma das métricas mais utilizadas por conta da sua eficiência e simplicidade. Para o cálculo, basta utilizar a fórmula:

Porcentagem de rotatividade = número de profissionais que deixaram a organização/ total de colaboradores x 100

Geralmente, esse cálculo é feito com base no período de um ano. O ideal é que gire em torno dos 5%, mas pode variar bastante, sobretudo por conta da política de cada empresa ou do seu ramo de atuação.

A taxa de turnover é um dos indicadores de desempenho mais utilizados porque também aponta para alguns fatores importantes, entre eles, a capacidade de retenção de talentos e a satisfação dos colaboradores. Com essas informações em mãos, o RH pode agir de maneira ainda mais certeira. A partir delas, é possível criar diversas alternativas para que essa rotatividade diminua, especialmente quando estiver mais elevada que o normal.

4. Índice de satisfação dos profissionais

O cuidado com a satisfação dos profissionais cresce cada vez mais, pois esse índice tem relação direta com o nível de engajamento no trabalho das equipes. Um colaborador que não está satisfeito pode influenciar tanto na própria produtividade quanto na dos colegas.

Também conhecido por endomarketing, esse conceito foca na experiência do trabalhador dentro do ambiente empresarial. Para conhecer o nível de satisfação, é possível fazer perguntas como:

  • de 0 a 10, quanto diria que o seu superior é um bom colega de trabalho?
  • de 0 a 10, quanto você indicaria o seu local de trabalho atual para um conhecido?

Assim, inicia-se a identificação do grau de lealdade e contentamento de cada colaborador. Com base no que foi respondido, é possível classificá-los como:

  • promotores — que dão notas de 9 a 10 e são apaixonados pela empresa;
  • neutros — com notas que variam entre 7 e 8;
  • detratores — que dão notas de 0 a 6, o que significa que estão insatisfeitos com o seu trabalho atual.

Com essa pesquisa, é possível confirmar se outros indicadores — como as taxas de rotatividade e absenteísmo — estão indiretamente relacionados à insatisfação dos profissionais. Essa métrica também ajuda ao RH a fornecer uma base de ações que os demais departamentos poderão executar para as melhorias.

5. Taxa de diversidade da equipe

Valorizar a diversidade de gêneros, raças, idade etc. dos colaboradores, sem fazer nenhum tipo de distinção, é um dos grandes passos para que a organização seja vista com bons valores pelo mercado. É preciso que todos sejam contratados de acordo com as suas competências, sem que haja qualquer tipo de preconceito.

Isso vale não somente para as contratações, mas também para as promoções e efetivações. Portanto, dentro dos indicadores de desempenho, é importante fazer essa avaliação e checar se existe diversidade entre as pessoas contratadas. Esse é um dos maiores sucessos para a empresa, que será realmente receptiva e inclusiva.

6. Desempenho de novos contratados

O indicador de desempenho de novos colaboradores é muito importante tanto em uma efetivação quanto em um desligamento. Isso acontece porque uma decisão mais precisa pode gerar grande economia para as finanças da empresa, além de evitar um impacto negativo nos resultados por conta de desempenho abaixo do esperado.

Para fazer essa análise, basta comparar o novo contratado com alguns colaboradores mais antigos que atuem na mesma função. Dessa forma, é possível avaliar o desempenho do profissional que acabou de chegar. Com essas informações, os gestores têm uma segurança maior para tomarem as decisões que influenciarão os processos de maneira positiva.

7. Nível de produtividade

A produtividade é o nível de entrega de cada equipe ou colaborador em relação a uma quantidade limitada de insumos que estão disponíveis no dia a dia de trabalho. De uma maneira mais simples, é o cálculo do quanto os profissionais conseguem produzir (entrega) ao longo do expediente que costuma ser de 8 horas (o insumo).

Quanto maior for essa relação entre entrega e insumo, maior será a produtividade da equipe. Para facilitar esse cálculo, a seguinte fórmula pode ser utilizada:

Produtividade = entregas realizadas / insumos que foram utilizados

Caso o setor de RH constate que a produtividade caiu, será necessário investigar a causa. Alguns fatores podem influenciar nessa queda, como a carência de treinamento da equipe e a baixa motivação. Essa diminuição pode ainda ser resultado da falta de uso de tecnologias específicas ou de processos mais funcionais.

Conforme você pôde perceber, existem diversos indicadores de desempenho que o RH pode utilizar, e os citados acima são apenas alguns deles. É extremamente importante que você os conheça e utilize os que fizerem sentido dentro da rotina da sua empresa para, assim, conseguir otimizar as atividades tanto do próprio setor quanto do negócio como um todo.

Gostou deste conteúdo? Então aproveite para nos seguir nas redes sociais e receber todas as nossas atualizações! Estamos no LinkedIn, Instagram e Facebook.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp