Como funciona a realocação interna de funcionários?

realocação de funcionário

A realocação de funcionários é um tipo de recrutamento interno em que os profissionais são redistribuídos de função, setor ou, em alguns casos, até de filial. Assim, em vez de abrir novo processo seletivo, a empresa reaproveita os próprios colaboradores.

Tem dúvidas de como realocar um profissional de modo mais adequado? De fato, se não houver uma estratégia de RH, você pode perder um colaborador talentoso e engajado com a empresa.

É importante mensurar quando a realocação pode ser uma boa alternativa e saber as melhores práticas para fazer isso. Neste post, respondemos essas e outras dúvidas. Acompanhe!

Quando fazer a realocação de funcionários?

A realocação de funcionários pode ser uma oportunidade interessante para aproveitar profissionais que valem a pena manter na empresa. A má contratação é um risco quando os recrutadores deixam passar informações importantes, como fit cultural, competências e interesses do colaborador.

Além disso, em situações em que houver uma demanda de produtividade em outro setor ou o surgimento de novas necessidades na equipe, como competências específicas ou disponibilidade não planejada anteriormente, a realocação pode ajudar. Também é muito importante perceber os funcionários que estão se capacitando em áreas das quais a empresa precisa no momento.

De todo modo, saiba que é uma prática saudável. A gestão costuma reorganizar os setores e os projetos a fim de aproveitar melhor o perfil comportamental e as habilidades de cada um.

Quais são os benefícios de investir na realocação?

A reorganização no trabalho tem muito a colaborar com a empresa devido a sua praticidade e oportunidade de investir em funcionários com pontos fortes bem relevantes. Separamos os principais benefícios dessa prática.

Custo reduzido

Considerando os custos envolvidos num processo seletivo convencional, como anúncio de vagas, tempo investido no recrutamento, análise de pessoal e até investimentos com o onboarding, esse tipo de realocação tem os custos mais reduzidos.

Fora que, em situações de urgência para composição do cargo, as chances de errar na contratação são bem maiores, uma vez que passos importantes são desconsiderados. Nessa situação, o risco de turnover é enorme, considerando que habilidades técnicas, perfil comportamental e alinhamento com a cultura da empresa acabam passando despercebidos.

Além do mais, a realocação interna reduz os impactos causados por erros na tomada de decisão ainda no processo seletivo. Afinal, você já conhece os funcionários, e eles, a empresa. Embora exista a chance de não se adaptar ao cargo, ela é bem menor do que uma contratação nova.

Desenvolvimento de talentos

É possível que alguns colaboradores tenham se capacitado durante o exercício do cargo atual, além de terem desenvolvido habilidades comportamentais com o dia a dia da profissão. Oferecer oportunidade de realocação é uma maneira de aproveitar as competências aprendidas e de aperfeiçoar outras.

CTA Lideranca 4.0 o que voce precisa saber sobre isso2

Ao realocar profissionais mais bem preparados e já engajados com a empresa, certamente os resultados serão melhores. Um funcionário já compreende as necessidades e os desafios da área de atuação da empresa, entende como funciona a cultura organizacional e a dinâmica de trabalho. Por isso, quando o profissional tem perfil para o cargo, a tendência é que seja mais fácil impulsioná-lo na carreira.

Satisfação do funcionário

Os desafios na profissão proporcionam não apenas crescimento de carreira, como também trazem novos ares e mudanças de perspectiva. Isso aumenta a satisfação no trabalho, quando o colaborador se vê frente a mudanças importantes. Além disso, permite que ele experimente novas atividades, se aproxime de novos colegas e se relacione com uma nova liderança. É um pequeno novo mundo dentro da mesma organização.

Oferecendo novas oportunidades, o profissional se sente mais motivado e engajado com a empresa. Realocar o funcionário também é uma maneira de demonstrar sua importância para a organização, investindo no desenvolvimento de novas competências e valorizando sua trajetória profissional. Essa prática aumenta a retenção de talentos, diminuindo as chances de perder bons profissionais para a concorrência.

Quais são as boas práticas para a realocação interna?

Para fazer a realocação de funcionários, é essencial que a liderança e a gestão de pessoas trabalhem juntas para definirem um plano estratégico. Quais são as características de cada equipe? A realocação precisa de regras? Como ficará a remuneração? São decisões importantes a serem tomadas junto aos gestores.

Com tudo isso em mente, é hora de definir um processo estruturado para uma realocação efetiva. Confira práticas que não podem faltar!

Considere as competências técnicas e comportamentais

Cada equipe tem necessidades e características muito específicas, afinal, elas compõem uma peça do grande quebra-cabeça que é a organização. Isso exige uma análise profunda das competências de cada funcionário para entender como ele pode ser mais bem aproveitado na empresa.

Se a organização já aplica a avaliação de desempenho, muitas informações podem ser retiradas dos feedbacks. Mas, também, você pode investir em um roteiro para fazer a entrevista por competência. Esse tipo de estratégia ajuda a observar atitudes geradas por meio de comportamentos.

Aplicar testes de seleção, sejam técnicos, sejam comportamentais, pode ser uma ótima alternativa para compreender o perfil profissional e comportamental, aumentando a compreensão das características do colaborador.

Forneça orientação e treinamento adequados

Ainda que o funcionário permaneça no mesmo local físico, cada setor tem particularidades muito diferentes. Inclusive, ele pode estranhar até mesmo o comportamento dos colegas. Por exemplo, enquanto a equipe de vendas costuma ser mais entusiasmada, a equipe de tecnologia tende a ser mais centrada e introspectiva.

Além disso, lembre-se de que os fluxos de trabalho vão mudar e ele precisa saber o que deve ser feito (e o que deve ser evitado) em cada etapa. Ajude o colaborador a receber as informações mais importantes sobre o novo cargo e, se possível, nomeie alguém para acompanhá-lo durante essa trajetória. Esse processo inicial é muito importante para o funcionário se sentir bem recebido pela nova equipe e impulsionado a lidar com os novos desafios.

Sabemos que fazer a realocação de funcionários pode ser um desafio. Por isso, queremos ser seu parceiro por meio do SERES Assessment, nossa ferramenta de análise comportamental. Com ele, fica mais fácil (e mais seguro) mapear, avaliar e identificar o perfil dos seus funcionários.

Quer saber mais como funciona essa solução? Fale com um de nossos especialistas!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp