Estresse no trabalho: 7 ações que podem ajudar seus colaboradores

estresse no trabalho

Que as situações estressantes são relativamente frequentes no ambiente profissional não é nenhuma novidade. De fato, a pressão por resultados, o medo de ser despedido, a dificuldade de lidar com pessoas de diferentes personalidades e a sobrecarga de tarefas representam gatilhos importantes para o estresse no trabalho.

Contudo, os novos tempos têm acentuado esse estresse, tendo em vista que as pessoas estão com emoções à flor da pele e tendo que se adaptar a novas formas de trabalhar. Para lidar adequadamente com essas situações adversas, você vai conferir 7 ações que o RH pode promover nas empresas. Boa leitura!

Estresse no trabalho no contexto da pandemia

A pandemia de Covid-19 trouxe diversos agravantes ao estresse no trabalho: o medo de adoecer na empresa ou no transporte público, o receio de ser demitido por conta das crises financeiras que afetaram diferentes setores, a adaptação às tecnologias para quem adotou o trabalho remoto, a resolução de problemas à distância, além dos efeitos psicológicos promovidos pelo isolamento social.

Esse cenário é inédito e, por isso, é natural que assuste as pessoas e promova situações de estresse. Muita gente adoeceu ou teve casos da doença, ou de mortes na família e nos círculos de amizade. Equilibrar todos esses fatores e ainda realizar um bom trabalho certamente é uma missão delicada.

7 dicas que o RH pode adotar para amenizar o problema

A área de recursos humanos (ou gestão de pessoas) precisa tomar à frente na hora de amenizar o estresse nas equipes de trabalho nesse momento complexo. Na sequência, você verá 7 ações muito benéficas nesse sentido.

1. Incentivar a adoção de hábitos saudáveis

A qualidade de vida no trabalho é uma das áreas da gestão de pessoas. Por isso, é importante que esse departamento oriente os colaboradores sobre a adoção de hábitos saudáveis, mesmo quando estiverem fora da empresa. Para que as pessoas possam evitar o estresse no trabalho, é fundamental cuidar da saúde física e da saúde mental diariamente.

Assim, algumas recomendações devem ser estimuladas pelo RH das empresas, como: praticar atividade física regularmente, alimentar-se de forma equilibrada, ter boas noites de sono, descansar adequadamente nos períodos de folga e manter um bom relacionamento com as pessoas em geral.

2. Valorizar os colaboradores

Valorizar o funcionário da empresa vai muito além de oferecer a ele uma remuneração adequada por seus serviços. É importante agradecer e demonstrar respeito pelas equipes que, mesmo em um momento tão difícil, conseguem se dedicar ao trabalho — seja ele remoto ou presencial.

Um líder que manifesta gratidão, que demonstra interesse pelo bem-estar das pessoas, que coloca a segurança da equipe em primeiro lugar, que oferece ajuda para que os funcionários se adaptem ao trabalho remoto, que provê a infraestrutura necessária para as atividades e que se mostra acessível certamente valoriza o seu time.

3. Estimular um convívio social saudável

Também é função do RH promover treinamentos sobre comunicação interpessoal e bom relacionamento entre colegas, sobretudo em tempos de crise. É uma boa ideia reforçar esse conteúdo entre os colaboradores e estimulá-los a um convívio saudável, baseado na comunicação não violenta.

Dessa forma, incentive os funcionários da empresa a fazerem pausas, a socializarem com os colegas na hora do almoço e a apoiarem-se uns nos outros diante das dificuldades. Saber que ninguém está sozinho certamente é um fator que ameniza a ansiedade e o estresse no trabalho. Mesmo que o colaborador esteja em casa, os intervalos para descanso também devem ser respeitados.

4. Promover momentos de descontração

Além das situações típicas de estresse que as pessoas já vivem naturalmente no ambiente de trabalho, elas também estão estressadas com todo o contexto social. Esse somatório de fatores as deixam mais tensas, desanimadas e ansiosas.

Assim, promover momentos de descontração pode ser uma boa ideia. Sessões de meditação guiada na empresa, aulas de ginástica laboral, espaço de descompressão, confraternizações e até mesmo um happy hour online são boas ideias para tornar esse momento mais agradável.

5. Aprimorar a rede de comunicação interna

Há um fato clássico que todo departamento de recursos humanos já sabe e precisa fazer algo a respeito: boa parte dos problemas que surgem nas empresas tem a sua origem em falhas de comunicação. Escolha equivocada de palavras, tom de voz inadequado, mensagens escritas de forma ambígua e informações conflitantes partindo simultaneamente de diferentes fontes são problemas a serem evitados.

Por isso, cabe ao RH definir uma rede única e oficial de comunicação interna, de preferência com alguém que revise os comunicados. Com essa fonte oficial, as fofocas de corredor perdem força, amenizando o estresse e as intrigas provocadas por elas. Além disso, é fundamental que os gestores deem orientações acerca das tecnologias usadas no trabalho remoto e que tenham especial paciência com aqueles não são tão familiarizados com elas.

6. Oferecer acompanhamento psicológico

É relativamente comum encontrar psicólogos no quadro de colaboradores dos departamentos de gestão de pessoas. Especialmente nas empresas que lidam com questões essencialmente mais estressantes, como hospitais, delegacias de polícia, instituições de ensino, corpos de bombeiros, presídios etc., é interessante oferecer um acompanhamento psicológico.

Mesmo as empresas que não se enquadram nesses ambientes também podem contar com o auxílio desse profissional. Algumas organizações têm feito parcerias com academias, convênios médicos e consultórios de psicologia justamente para lidar melhor com a questão do estresse no trabalho.

7. Adotar uma gestão humanizada

Por fim, é necessário adotar uma gestão humanizada, que é aquela na qual os gestores enxergam o funcionário como um ser humano e não como uma máquina de produzir a todo e qualquer custo. Pessoas não são ferramentas, mas vidas sensíveis ao meio onde estão e que sofrem em cenários adversos.

Por isso, é necessário que a gestão saiba ouvir o que o colaborador tem a dizer, estar presente e acessível, oferecer auxílio técnico e emocional diante das dificuldades, dar ordens com sensibilidade, corrigir e advertir sem humilhar, incentivar o desenvolvimento do profissional em sua carreira, reconhecer os méritos das equipes e fornecer ferramentas para que todos possam crescer em suas vidas profissionais.

Se você deseja evitar que os indivíduos que compõem a sua equipe sejam vítimas do estresse no trabalho, siga as dicas acima. Também pode ser uma boa ideia conduzir pesquisas internas de satisfação, para identificar o nível de estresse e as maiores queixas dos funcionários, de preferência com o auxílio de um psicólogo. O trabalho do RH precisa mostrar a sua competência para manter e ampliar a qualidade de vida de cada colaborador no trabalho. É complexo, mas é um desafio necessário!

Além do mais, já que a gestão humanizada tem papel fundamental na prevenção ao estresse no trabalho, que tal conferir este artigo completo sobre o tema?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp