Gestão humanizada: um guia completo para colocá-la em prática

gestão humanizada

Você sabe o que é gestão humanizada e como ela pode impactar nos resultados de uma empresa? O gerenciamento de um negócio deixou de ser apenas uma tarefa focada em finanças e no lucro final e passou a ser mais voltado para as pessoas que fazem parte dele. É aí que entra esse conceito maior de capital humano.

Gerenciar pessoas é uma tarefa que não pode ser deixada de lado em nenhum tipo de organização, independentemente do seu ramo. Por esse motivo, neste post, falaremos um pouco mais sobre essa gestão voltada aos colaboradores, como ela funciona, sua importância, vantagens e como implementá-la de forma correta.

Confira!

O que é gestão humanizada e como ela funciona?

Esse tipo de gestão acontece de uma maneira mais subjetiva em relação aos colaboradores de uma empresa. Ela considera suas vontades, expectativas, particularidades e dificuldades em relação não só à profissão quanto à própria vida de cada um. O seu maior objetivo é o desenvolvimento de um ambiente de trabalho que seja agradável, para que as metas propostas sejam alcançadas.

A humanização da gestão procura aproximar os líderes e os gestores dos funcionários para um contato mais próximo, como uma estratégia para melhorar os relacionamentos internos — além de suporte emocional. Para atingir essa meta, porém, é preciso conhecer a fundo as pessoas que trabalham para a empresa. Caso contrário, não tem como criar esse laço de confiança no time.

Surgimento do conceito de gestão humanizada

Assim como todas as áreas da nossa vida, a estrutura de trabalho também passou por mudanças e, com isso, tem evoluído ao longo do tempo. Desde o declínio da servidão à abolição da escravatura e da robotização de atividades, as empresas e seus colaboradores já tiveram que se adaptar muitas vezes — e continuam a fazer isso até hoje.

Durante a Revolução Industrial, as empresas estipulavam cargas horárias que ultrapassavam as 14 horas por dia e seus funcionários eram obrigados a trabalhar por 6 dias na semana, com foco exclusivo na produção e ganhando salários muito baixos para isso. Já no início do século XX, o Fordismo deu início a uma produção mais facilitada — o que possibilitou condições mais dignas de trabalho e aumento nos salários.

No Brasil, os benefícios só conseguiram se estabelecer, de fato, com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Entretanto, a cada ano, a sociedade muda — assim como o mercado — e, com isso, novas necessidades surgem e os negócios precisam fazer adaptações para acompanhar as mudanças.

O conceito de gestão humanizada surgiu, então, a cada passo dado na direção da valorização do trabalhador. Tratar os colaboradores como máquinas de produção, que não têm questões individuais, sentimentos ou vida pessoal, já não é mais bem-visto há muito tempo. Foi a partir dessa percepção que as empresas passaram a humanizar mais seus processos.

Pilares da gestão humanizada

Esse tipo de gestão foi criado e adaptado ao longo do tempo, mas a sua aplicação é baseada em alguns pilares.

Confira quais são eles a seguir!

Criar proximidade com os times

Uma gestão feita de maneira mais humanizada requer a união entre toda a gestão e a equipe de colaboradores da empresa. Com isso, é possível aumentar a confiança dos dois lados e mais: essa atitude evidencia que o negócio, como um todo, se preocupa com cada um dos funcionários e está disposto a ouvi-los sempre que for necessário, com o intuito de criar oportunidades de desenvolvimento e crescimento.

Estar aberto a mudanças

O objetivo das pessoas, assim como suas vontades e seu humor, podem mudar o tempo todo. Ao considerar esses acontecimentos, a empresa também pode — e deve — se abrir para mudanças. Com isso, será capaz de rever todos os seus processos de forma periódica, com o intuito de se adequar às metas e aos anseios da sua equipe.

Observar mais as pessoas

Esse pilar, em especial, parte do conceito de que é preciso entender os objetivos, metas e sonhos das pessoas, para que, assim, seja possível oferecer a elas oportunidades de realizá-los. Contudo, essa parte do processo só pode ser feita a partir de uma boa observação do comportamento do time de colaboradores.

Qual a importância de se preocupar com a humanização da gestão?

A importância em se preocupar com uma gestão mais humanizada é que, em uma sociedade caracterizada pelo individualismo, resgatar o pensamento coletivo se torna essencial para reverter a situação caótica que pode acontecer em diversos níveis. Nas empresas, esse clima pode afetar a saúde dos colaboradores e culminar em diversos males, como depressão, estresse, ansiedade e síndrome de burnout.

Colaboradores que escolhem preservar a saúde emocional podem acabar por procurar oportunidades em outras empresas. Isso, por si só, já aumenta a rotatividade e os custos — com demissões, novas contratações e treinamentos. Todos esses efeitos podem ser amenizados, ou mesmo eliminados, se a gerência tiver uma maior atenção com os funcionários. Um dos caminhos para isso é a humanização.

Com essa gestão, apesar de incentivar que todos vistam a camisa da empresa, os limites dos envolvidos são respeitados e o foco são as ações que ofereçam vantagens a cada um deles. Isso porque um funcionário satisfeito é o motor que impulsiona o desenvolvimento de qualquer negócio, que deve ser sustentável, e é o time que executa as atividades que mantém a instituição funcionando.

Então, fornecer a motivação certa pode render resultados excelentes, além de aproveitar a produtividade da equipe para multiplicar clientes, receitas e até oportunidades de negócio. A humanização será a responsável por indicar as ações mais acertadas para esse contexto. Além disso, é preciso ter em mente que a geração dos millenials está, cada vez mais, tomando o seu lugar nos locais de trabalho. Isso significa que há um grande indício de que a gestão humanizada é um caminho sem volta.

As pessoas que são consideradas “nativos digitais” são criadas em um mundo que é completamente diferente das gerações anteriores. Com essa informação em mãos, cabe à gestão das empresas entender o perfil dessa nova leva de profissionais e se adaptar.

Quais as principais vantagens da gestão humanizada?

Agora que você já conheceu o conceito desse tipo de gestão, os seus pilares e a importância da sua implantação em um ambiente de trabalho, precisa conhecer as principais vantagens em colocá-la em prática.

A seguir, listamos algumas delas.

Aumento da produtividade

Colaboradores que estão constantemente satisfeitos rendem — muito — mais. Quando um membro da equipe de trabalho consegue equilibrar suas necessidades pessoais e profissionais, se sentirá cada vez mais realizado, o que refletirá diretamente na produtividade e fará com que a sua entrega seja ainda maior.

Isso significa que, para a humanização da gestão, é muito importante que a empresa entenda a carência de cada funcionário. Não só isso, é preciso criar soluções para que cada um deles se sinta compreendido e, assim, consiga transformar todas as suas expectativas em produtividade.

Retenção de talentos

Todo trabalhador gosta de ser valorizado — e é comum que todos gostem quando os superiores demonstram isso. Os colaboradores que se sentem úteis e importantes para a empresa têm uma grande tendência a continuar parte dela e fazer isso por livre e espontânea vontade.

Para que isso aconteça, será preciso mostrar a cada um deles que todas as suas competências são relevantes para o negócio, assim como a sua presença e todo o bom trabalho feito são cruciais para o processo. Ao fazer isso, a instituição terá uma equipe formada por dedicados e fiéis escudeiros, com prazer em vestir a camisa da empresa e defendê-la.

Redução do absenteísmo

Com uma gestão humanizada, todos os processos são voltados para a qualidade de vida — e do trabalho — de cada um dos profissionais. Esse cuidado e atenção evitam faltas injustificadas e até mesmo afastamentos causados por doenças que, em muitos casos, têm início na própria organização, como o estresse e a ansiedade.

É essencial contar com um time que esteja sempre engajado e em plena sintonia com o negócio. Então, para que esse resultado seja possível de ser alcançado, a empresa precisa colocar em prática os valores prioritários de uma gestão mais humanizada.

Equilíbrio da vida pessoal e profissional

Quando o gestor consegue equilibrar a vida pessoal e profissional, isso acaba por inspirar a sua equipe a adotar a mesma atitude. Por isso, é indicado que ele procure compartilhar com os colaboradores a busca por um estilo de vida com hábitos mais saudáveis, alimentação balanceada, visitas periódicas ao médico e prática de exercícios físicos. Outro ponto bastante importante que deve ser incentivado é que o time aproveite os fins de semana e as férias para relaxar e não pensar em trabalho.

Mais que apenas falar, os colaboradores precisam ver os exemplos práticos desse novo estilo de vida, que beneficia tanto a vida pessoal quanto a profissional. Por esse motivo, é preciso ser flexível em relação aos compromissos pessoais de cada um, como saídas para acompanhamentos médicos ou reuniões escolares dos filhos.

CTA 5NV 04 1
CTA Lideranca 4.0 o que voce precisa saber sobre isso2

Também, é importante organizar o dia a dia da empresa para que as tarefas e reuniões necessárias sejam feitas somente em horário comercial. Assim, as obrigações com as responsabilidades do trabalho não atrapalharão os compromissos pessoais de cada um dos funcionários.

Melhora no clima organizacional

A insatisfação no ambiente de trabalho pode fazer com que qualquer relação interpessoal fique estremecida. Como consequência, isso pode impactar de forma bastante direta no crescimento e no desenvolvimento de qualquer negócio. Por conta disso, o investimento no bem-estar das equipes e de cada um dos colaboradores é extremamente importante.

Existem diversas formas de introduzir essa satisfação na empresa, como feedbacks positivos, e torná-los ainda mais participativos no ambiente de trabalho. O resultado será colaboradores mais satisfeitos e um clima organizacional muito melhor e mais agradável.

Atração de novos talentos

Quando uma empresa investe em uma gestão humanizada, que dá mais valor aos seus colaboradores — e às suas necessidades —, fica sujeita a ser mais bem-vista e mais falada no mercado. Como consequência, desperta a atenção de talentos qualificados que estão no mercado em busca de uma oportunidade de desempenho profissional em um negócio moderno.

Com esse movimento, a empresa passa a estar pronta para atrair as melhores pessoas disponíveis, ou seja, os novos talentos que estão no mercado. Quem se prepara com uma gestão humanizada oferece um ambiente mais receptivo aos capacitados e que buscam uma boa posição em uma instituição mais flexível.

Estimula um ambiente de trabalho mais ético

Toda empresa é o reflexo do seu líder — ou dos líderes. Isso significa que se quem ocupa esse cargo tiver uma postura fraca e desonesta, essa será, consequentemente, a imagem do negócio no mercado. Aqui, também é importante ressaltar que o gestor não se faz somente com o discurso que prega, mas sim com o que ele demonstra por meio de exemplos e da própria conduta.

Por esse motivo, ter atitudes honestas e simples é indispensável para disseminar a ética no trabalho. É preciso ter em mente que qualquer ação, por menor que seja, pode influenciar diretamente a vida — e o trabalho — de quem está ao redor da liderança. Então, um bom líder, que se porta de forma exemplar, propaga as sementes de atitudes positivas, tanto para os colaboradores quanto para o próprio negócio.

Como a gestão humanizada ajuda a melhorar os resultados da empresa?

Fazer um investimento com foco nas pessoas, como dito, desenvolve um ambiente altamente colaborativo e uma equipe motivada. Assim, os colaboradores acreditam nos objetivos propostos pela empresa e atuam de maneira mais vigorosa para entregar seus melhores resultados — mas não é só isso.

Pensar nos funcionários e na humanização do ambiente de trabalho é importante e necessário porque empresas que atuam com uma gestão humanizada satisfazem seus clientes e, com isso, conseguem aumentar seus rendimentos. De acordo com o estudo “Empresas Humanizadas”, esses negócios podem alcançar mais que o dobro de rentabilidade financeira em um período que pode variar de 4 a até 16 anos.

O estudo foi feito com 1.115 empresas, 136 mil colaboradores e 900 mil consumidores. Segundo o levantamento, a preocupação com pilares como liderança, propósito e cultura consciente gera mais engajamento dos colaboradores, que pode chegar a até 225% a mais, e aumento na fidelidade dos clientes, índice que pode alcançar 240%.

Ainda sobre o estudo — que na versão original foi feito nos Estados Unidos e que inspirou a do Brasil —, há poucos números que diferenciam os dois países. Lá, foram 26 empresas eleitas como humanizadas, quantidade que aumentou conforme o estudo ganhou relevância e enquanto mais empresas conscientes foram reconhecidas.

Uma das explicações para o número baixo se deve a três pontos: liderança falha, falta de bons exemplos e destoamento entre o que o posicionamento da empresa comunica e a sua operação na rotina com os funcionários. Isso acontece porque, muitas vezes, uma instituição acaba por copiar a prática de outra e adaptá-la ao seu negócio e ao seu cenário, mas os exemplos que são copiados já estão defasados e ultrapassados.

A conexão emocional e a produtividade

Uma empresa humanizada acredita que, acima de tudo, é importante conquistar as pessoas também pela conexão emocional. Como resultado, o colaborador devolverá essa satisfação em forma de produtividade e aumento nos seus resultados. O senso de coletividade também é fomentado nesse tipo de negócio.

Além disso, como dito, uma gestão mais humanizada busca envolver todos nas decisões, promover mais qualidade de vida, estimular o desenvolvimento e o crescimento dos colaboradores e incentivar o cultivo das boas relações. A resposta para esse investimento se dá em maior engajamento, mais lucro e maior reconhecimento no mercado como um ótimo lugar para trabalhar.

Como colocar a gestão humanizada em prática?

De nada adianta entender o conceito ou a importância desse tipo de gestão se ela não for colocada em prática.

A seguir, confira como é possível fazer isso!

Envolva seu time nas decisões

Para cultivar boas relações e criar uma forte cultura de gestão humanizada, uma boa ideia é convidar sua equipe para algumas das reuniões mais importantes. Com isso, você mostrará que cada pessoa ali tem um papel que é fundamental na empresa.

Ao começar a conversa, escute as opiniões que cada um tem sobre o assunto debatido e peça ajuda para a implementação de novos projetos ou para a solução de algum problema. Quando os envolvidos sentem que ajudaram de alguma forma a resolver uma questão, o engajamento para fazer a ideia que surgiu dar certo é muito maior.

Seja um mediador

Durante o expediente na empresa, é normal que aconteçam algumas pequenas desavenças e conflitos, como discordâncias sobre o cumprimento de alguma tarefa ou qualquer outra coisa relacionada à convivência em equipe. Nesse contexto, uma figura que exerça certo poder é importante tanto para intervir quanto para evitar que o caos aumente e se alastre ainda mais.

Nesse momento, é importante que o responsável mantenha a postura neutra e sem apontar quem está certo ou errado. Nesse caso, a melhor atitude é atuar como um mediador e colocar os envolvidos para conversar até que um consenso seja alcançado. Se isso não for possível, é papel dele falar com cada parte de forma separada até que o problema seja resolvido.

Entenda as particularidades de cada colaborador

Cada pessoa que trabalha na empresa é um ser único, com competências e habilidades específicas que, quando bem empregadas, favorecem o dia a dia do negócio, assim como a sua produtividade. Então, cabe a líderes e gestores identificar quais são essas particularidades e extrair o máximo delas, para que ajam de modo positivo no desenvolvimento — tanto da instituição quanto do próprio colaborador.

Para facilitar esse trabalho, uma tabela de competências pode ser criada. Nela, o responsável pontua algumas habilidades mais básicas. Após fazer um ranking de toda a equipe, é só relocar cada uma das pessoas envolvidas para as funções mais adequadas — nas quais elas poderão demonstrar todo o seu conhecimento e talento. Caso seja necessário, uma boa saída é investir na capacitação de funcionários para que consigam atender às necessidades da empresa.

Conecte-se com a equipe

A maior parte do que é chamada de gestão humanizada tem a ver com a relação que é estabelecida entre todas as pessoas em um mesmo ambiente de trabalho. Assim, uma organização que opta por esse modelo precisa oferecer relações mais empáticas e mais calorosas para seus colaboradores, independentemente da posição que ocupam.

Por esse motivo, é fundamental que cada um dos colaboradores seja ouvido. Contudo, é preciso fazer ainda mais que isso: considerar o que é falado e colocar em prática tudo o que for trazido por eles. É preciso lembrar de que uma boa relação só pode ser cultivada quando existe reciprocidade e conexão entre ambas as partes.

Ofereça oportunidades

É importante ressaltar que, acima de tudo, uma gestão humanizada é pautada no reconhecimento. Com isso dito, é preciso pontuar que as pessoas que se destacam entre as demais precisam ser valorizadas da forma devida. Ao fazer isso, não é necessário pensar em gestos muito grandes.

É possível oferecer feedbacks positivos, reconhecer as pequenas vitórias de quem se esforça, delegar tarefas para demonstrar que confia no potencial de cada um, treinar o colaborador de destaque para assumir novos cargos ou qualquer outra boa ideia que vier à mente. Como forma de agradecimento e incentivo, é preciso fazer tudo o que estiver ao alcance para valorizar — e impulsionar — quem merece.

Seja um líder humanizado

Esse, talvez, seja um dos pontos mais importantes sobre como colocar a gestão humanizada em prática. Isso porque não tem como existir valores, missão ou visão mais humana se os líderes e os gestores também não forem humanizados. É preciso ser uma figura de liderança que dê os exemplos certos para os demais colaboradores.

Aqui, é importantíssimo lembrar de que um líder é o pilar de qualquer equipe, independentemente do tamanho da empresa, e as suas ações ressoam não só pelos liderados, mas pelo ambiente como um todo. Por esse motivo, dispor de uma postura mais aberta, receptiva e humana é imprescindível.

Como você pôde perceber, a gestão humanizada é um conceito que chegou para ficar e que se apresenta de maneira mais constante com o passar do tempo. Ao priorizar os colaboradores e a relação entre eles e seus líderes, a empresa só tem a ganhar.

E aí, gostou do assunto deste guia? Então, aproveite e aprenda sobre o PDL (Programa de Desenvolvimento de Líderes), criado para ajudar os profissionais que assumirão cargos de liderança. Também, assista a nossa live sobre o assunto e saiba mais!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp